BLOG



Regulagem e calibração de pulverizadores agrícolas


Regulagem e calibração de pulverizadores agrícolas

         Sendo o pulverizador o equipamento que mais entra em meio ao cultivo durante a safra e que pelas pontas de pulverização passam um dos maiores custos da lavoura, que são os defensivos, é extremamente importante termos o pulverizador bem regulado e calibrado, para garantir o sucesso da lavoura.
A regulagem refere-se ao ato de preparar o pulverizador para atender o desejado.
Calibração refere-se a verificar se o pulverizador está desempenhando conforme o previsto pela regulagem.
Antes de começar a regulagem, é importante ter o conhecimento de alguns fatores de conversão:

1 BAR  = 14,5038 PSI

1 m/s = 3,6 km/h

1 galão (USA) = 3,785 L

1 ha = 10.000 m²


Alguns passos essenciais que devem ser seguidos para regulação e calibragem:
PARA ESCOLHA DA PONTA
: Definição da taxa de aplicação (seguir instrução do fabricante do defensivo ou do engenheiro agrônomo);
    Exemplo: 100 L/ha


: Determinar a velocidade de deslocamento do pulverizador, cronometrando o tempo que o trator/pulverizador demora para percorrer 50 metros na rotação e marcha normal de trabalho. Para obter a velocidade em km/h, basta realizar o seguinte cálculo:

 V = 180/T

onde T = tempo gasto (s) para percorrer 50 metros;
   Exemplo: O pulverizador levou 18 segundos para percorrer 50 metros, logo: 

V = 180/18;
V = 10 Km/h.


: Calcular qual a vazão necessária na ponta, através da seguinte fórmula:

q = (Q * V * E) / 60.000

onde:

q = vazão da ponta (L/min) 

Q = taxa de aplicação desejada (L/ha) 

V = velocidade de deslocamento do pulverizador (km/h)

E = espaçamento entre bicos (cm);


    Exemplo:

q = (100 * 10 * 50)/60000);
q = 0,8333 L/ha


: Escolha da ponta de pulverização conforme a vazão nominal e a pressão de trabalho da ponta, através do uso de informações do fabricante, como por exemplo na figura abaixo, onde vemos informações a respeito das pontas Turbo Teejet:

Figura 1: Dados de vazão dos bicos conforme pressão utilizada.

Fonte: (Teejet technologies)


Observação: As letras iniciais (TT) correspondem ao modelo do bico, os 3 primeiros números (110) correspondem ao ângulo de abertura do leque de aplicação e os números restantes correspondem a vazão (galões/min) na pressão de 40 PSI. Conforme exemplificado na Figura 2.


Figura 2: Padrão de identificação de pontas de pulverização.


Fonte: (Teejet technologies)

As cores das pontas são definidas por norma ISO 10625, sendo padrão a coloração laranja para pontas 01, verde para 015, amarelo para 02 e assim por diante, conforme representado na Figura 1.
    Seguindo o exemplo, conforme calculado no 3º passo, poderia ter diversas opções de pontas para utilizar próximo a vazão de 0,833 L/min calculada. A) Ponta TT110015, com 6 bar de pressão, oferece 0,83 L/min formando padrão de gota Fina. B) Ponta TT11002, com 3,5 bar de pressão, oferece 0,85 L/min com gota média. C) Ponta TT11003, com 1,5 bar de pressão, oferece 0,84 L/min com gota grossa.
Para pulverizadores com sistema de controle automático de taxa, baseados na mudança de pressão, é recomendado escolher a ponta que na velocidade média de trabalho do pulverizador trabalhe com a taxa desejada na pressão aproximada de 3 bar. Dessa forma há amplitude de variação da pressão de forma a garantir sempre a mesma taxa de aplicação.
Caso não tenha uma tabela de referência de pontas de pulverização, é possível calcular a vazão com base na pressão desejada, através da seguinte fórmula:
(qx * √py)/(√px) =qy

Ou descobrir a pressão alvo, com base na vazão desejada, pela seguinte fórmula abaixo:
(qy * √px)/qx = √py

Onde:
qx = Vazão nominal da ponta (L/min)
qy = Vazão alvo (L/min)
py = Pressão alvo (PSI)
px = Pressão nominal (essa é sempre 40 PSI)
    Exemplo: Uma ponta amarela, tem vazão nominal de 0,2 galões americanos por minuto com 40 PSI de pressão, ou 0,76 L/min. Deseja-se saber qual a pressão de trabalho deve ser utilizada para atingir os 0,83 L/min. Logo:
(0,76 * √Py)/(√40) = 0,83

√Py=((0,83* √40))/0,76

√Py=6,90

Py=47,7 PSI

Ou seja, a pressão alvo (Py) para atingir os 0,83 L/min com a ponta amarela (02) é de 47,7 PSI. Vale ressaltar que é recomendado que as pontas sejam novas para inferir a pressão alvo com base nas vazões nominais das pontas. À medida que as mesmas vão sendo utilizadas, desgastes ocorrem, podendo ocasionar alteração da vazão real.
PARA CALIBRAR O PULVERIZADOR
Nos passos acima aprendemos como escolher uma ponta de pulverização conforme sua vazão nominal, classificados por cores conforme norma ISO 10625.  
Abaixo listaremos um passo a passo para conferir o volume de calda que o pulverizador está entregando por hectare.
- Defina a velocidade de trabalho do pulverizador, da mesma forma que no passo a passo anterior, cronometrando o tempo que o trator/pulverizador demora para percorrer 50 metros na rotação e marcha normal de trabalho. Para obter a velocidade em km/h, basta realizar o seguinte cálculo:
V=180/T onde T = tempo gasto (s) para percorrer 50 metros;

Exemplo: O pulverizador levou 18 segundos para percorrer 50 metros, logo:

V=180/18
V= 10 km/h

- Medir a vazão das pontas através de um copo graduado. Para isso o trator deve estar em rotação normal de trabalho (TDP a 540 rpm) e o pulverizador com a pressão desejada. Deve-se coletar a vazão de pelo menos 2 bicos por sessão, durante um minuto cada um e fazer a média entre eles. Caso o pulverizador não tiver mais sessões, é indicado coletar a vazão de pelo menos 6 bicos.
Obs: É recomendado que se faça a troca das pontas caso haja pontas que apresentem variação maior que 5 % da média.
    Exemplo: Média da vazão coletada: 960 mL/min ou 0,96 L/min.


- Por fim basta utilizar a seguinte equação para descobrir a taxa de aplicação:
Q =(q*60.000)/(V*E)

Onde:
Q = Taxa (L/ha)
q = Vazão (L/min)
V = Velocidade (km/h)
E = Espaçamento entre bicos (cm)
60.000 = Constante
    Exemplo:
Q =(q*60.000)/(V*E)

Q =(0,96*60.000)/(10*50)

Q=115,2 L/ha

Assim encontramos que o pulverizador regulado nessas condições de trabalho entrega uma taxa de 115,2 litros por hectare. Se desejar alterar a taxa entregada utilizando a mesma ponta, é possível alterar a pressão ou a velocidade de trabalho da máquina, e posteriormente realizar o mesmo passo a passo para aferir a nova condição de trabalho da máquina.
QUANTO DE PRODUTO UTILIZAR NO TANQUE?
        Uma vez regulado e calibrado o pulverizador, deve-se definir quanto produto utilizar no tanque. Para isso deve-se em um primeiro momento descobrir a quantidade de área pulverizada por cada tanque.
Para isso basta dividir a capacidade máxima do tanque (L) pela taxa de aplicação (L/ha).
        Exemplo: Um tanque de 1500 litros, com taxa de 115 L/ha resulta em uma capacidade de 13 hectares por tanque.
        Supondo que a recomendação da aplicação é de 3 litros por hectare de glifosato. Logo, multiplica-se a dose de produto por hectare pela capacidade do tanque (3 * 13 = 39 L). Ou seja, deve-se adicionar 39 L de glifosato por tanque.
Ao realizar a mistura diretamente no tanque, recomenda-se preencher metade da capacidade do tanque com água, adicionar o produto comercial, agitar bem a mistura e posteriormente completar o restante do volume com água.

CONCLUSÃO
        Aferir o pulverizador é rápido e fácil, e é uma etapa fundamental para garantir a qualidade da aplicação e o sucesso na hora da colheita. Em breve postaremos mais conteúdos tratando da escolha dos diferentes modelos de bicos e qual a implicação nos tamanhos de gota e quando devemos utilizar cada um deles.
        Para mais informações consulte um engenheiro agrônomo.

Entre em contato
Fale por WhatsApp